segunda-feira, 6 de junho de 2011

"Nunca usei luta para me defender"




Amigos,

A postagem de hoje é uma entrevista com nosso parceiro de treino, ele sem dúvida é um  exemplo tríplice de atleta, professor e formação moral-religiosa, refiro-me ao prof Renato Rocco.

Professor Rocco está sempre de bem humor, motivado, disposto a ajudar e nunca e nunca você vai ouvir dele uma palavra de desânimo ou coisas  semelhantes, é um cara que sempre põe a gente “prá cima”, tentando extrair o que há de melhor à volta de nós. Você, por exemplo, para terem uma idéia do que estou falando, pode até, em dado momento, não ir bem nos treinos, estar cansado, travar o jogo, fazer posições erradas, porém, ele com seu jeito característico vai encontrar alguma coisa boa, deixar as ruins de lado, te corrigir e motivar.

Um outro dado importante que se observa na entrevista, professor Rocco jamais usou seu conhecimento de artes marciais nas ruas para brigar. Ele compreende que o praticante de artes marciais, sobretudo, quem tem a faixa preta, deve tolerar e possuir auto-confiança para não perder o controle das situações que a vida nos expõe dia a dia.

Posso sem medo de imprecisões dizer que o prof Rocco “a todos estima e de todos é estimado”.


Nova União Laranjeiras (NUL) -  Quando as artes marciais entraram em sua vida? E se seus familiares como lidaram a respeito? ROCCO -  Comecei a fazer Judô aos 7 anos por indicação do médico, devido á um acidente caseiro que eu tive com vidro, tomei mais de 100 pontos no braço esquerdo, fazendo com que eu perdesse os movimentos dos dedos, realizando algumas cirurgias para refazer ligamentos e nervos e muita fisioterapia para recuperar.O Judô fez toda a diferença. Meus pais lidaram muito bem com a iniciação nas artes marciais, ainda mais sendo uma indicação médica.

Rocco no que tem de melhor: motivando nosso amigo prof Flavinho

aqui estava orientando nosso amigo Marquinho Paraiba



NUL -  Quais foram seus mestres? ROCCO – Comecei no Judô com o mestre Romeu, que dava aula na Marquês de Paraná, quando eu estava na faixa azul, ele viajou fui então treinar na corpore com os Mestres Marcão e Celsão e lá permeneci até os dois montarem a academia MC, e ainda eram os treinadores do Clube de regatas Flamengo, então naturalmente me tornei atleta do clube e fui até a faixa preta com eles. No Jiu-Jitsu comecei treinando no condomínio que fica na Av Oswaldo Cruz, com o professor Julinho, da equipe Leonardo castelo Branco, depois fui para a Mazza treinar com o próprio Leonardo Castelo Branco, em seguida fui para a Staff com o mestre Jota (Equipe do Leo Castelo), voltando para a Victory com o Itallo e com o Leo Castelo até a faixa roxa. Logo após eu ter pego a faixa por problemas com horário encontrei com o Rafael Carino, que é um grande amigo e falei com sobre o assunto e ele me falou as portas estavam abertas e assim cheguei na equipe NOVA UNIÃO LARANJEIRAS sobre o comando do mestre Carino (Já tinha até feito alguns rolas de faixa azul no tatame do mestre que era o maior da zona sul na época).


NUL - Como foi ou é  conviver com eles? ROCCO - Sempre tive uma ótima convivência com os mestres, pois sou muito simples,tranquilo e sempre disposto a colaborar com a equipe.Hoje tenho o Rafael Carino como um irmão e sei que temos um longo caminho para percorrermos com a nossa equipe e estarei sempre a disposição do Mestre e do nosso time.

Rocco em treino com nosso amigo prof Frank

ataque do prof Frank no detalhe



NUL - Essa sua experiência de conviver desde criança com o ambiente do judô e posteriormente do jiu-jitsu, foi importante para você? ROCCO - Claro que sim estar no ambiente de luta desde pequeno, facilitou muito minha “Migração” para o Jiu-Jitsu, foi tranquilo e imediato,ainda mais que no Judô temos chão também...


NUL -  Por que razão? ROCCO - Acho que pelo que coloquei também pelo Judô ter chão, e no Jiu-Jitsu as lutas de competição começam em pé, podemos dizer que existe um complemento entre as artes.


NUL -   Chegou a dar aulas, conte um pouco sobre isso? ROCCO - Sim,foi muito importante trabalhar com as crianças (Fui professor de judô dos 17 aos 23 anos), pois é sempre um grande aprendizado e uma troca de energia sem palavras, é muito gratificante dar aula tanto para crianças quanto para adultos.Pois o nosso crescimento depende do crescimento de todos então eu afirmo que para dar aulas têm que gostar e ter muita paciência.


NUL -  Títulos em campeonatos, lembra do que conquistou ao longo de sua vida? ROCCO - Fui campeão de alguns torneios de judô e um carioca de branca a verda, de roxa á marron fui 3 vezes terceiro estadual.No Jiu-jitsu ganhei alguns torneios e na Nova União ganhei meus títulos de mais expressão campeão carioca, Brasileiro de quimono e sem Quimono.


NUL -  Para você o que é indispensável para ser um verdadeiro mestre?  ROCCO - Para ser um verdadeiro mestre é preciso ter serenidade, paciência,disciplina e além de tudo gostar de passar o conhecimento.

Vitória, filha do prof Rocco em pose de "malvada"


Vitória e sua irmazinha são as grandes motivações do prof Rocco




NUL -  Na equipe Nova União de um modo geral quem você destacaria como um grande lutador profissional e quem do mesmo modo seria o grande mestre? ROCCO - A Nova União é uma grande equipe, com muito lutadores e grandes mestres sensacionais !!! Falar só de um ou outro acho que é impossível.Podemos começar com o nosso mestre que ganhou tudo que disputou tanto no jiu-jitsu quanto no vale tudo, o Victor Shaolin que é um fenômeno, Robinho,  Charuto, Marola, Marlon Sandro,Marcelino, Rodolfo,Ronnys o Nosso Campeão José Aldo que está divulgando ainda mais o nome da nossa equipe pelo mundo e por ai vai.... Mestres vou destacar o Nosso Rafael Carino, Marola, Fabio e o Dedé e o Wendell que começaram isto fazem 15 anos.


NUL -  Na vida, fora dos tatames, você usaria o jiu-jitsu em que situação? ROCCO - Nunca usei luta para me defender, gostaria de continuar assim.Porém para defender minha família ou mesmo ajudar alguém que precise, usaria sem problemas.


NUL - Toda galera sabe que você é um cara super religioso, mas a pratica das artes marciais, que a grosso modo trata das situações de violência, não é contraditória a fé religiosa? ROCCO – Então esse ponto é realmente engraçado. As artes marcias de forma geral eu vejo com um esporte, que aliás existem vários esportes de luta que estão nas olimpíadas e que têm regra, federações e confederações, e que os países investem pesado para tentar levar uma medalha. Mesmo o vale tudo têm regras definidas, movimenta muito dinheiro e muda a vida de muitos. Tenho certeza que tanto os esportes de luta quanto o vale tudo têm a aprovação de DEUS, vamos olhar com ele o faria a quantidade de benfeitoria que o esporte faz não só para os atletas quanto para as suas famílias, é isso que eu acho.


Pingue- pongue:
Rafael Carino – Grande mestre, Amigo, um grande irmão que é um exemplo para todos.
Inspiração – Família, Jesus Cristo e os amigos.
Amizade – Faz muito bem para todos nós.
Alan Kardec – Grande espírito, grande mestre, suas obras têm um valor incalculável assim com o mestre Chico Xavier.
Golpe perfeito -  São muitos...difícil falar um só.
André Borba – Um grande amigo dentro e fora dos tatames.Têm muita técnica e está fazendo falta nos treinos.
Livro – Paulo e Estevão (Emmanuel por interseção de Chico Xavier) e a Bíblia que é sempre um grande aprendizado.
Site – O melhor site de vinhos da internet é claro é o www.espacodovinho.com.br

2 comentários:

Ruda disse...

Professor Rocco!!

podia pelo menos ter revelado o segredo dessa base que só um guindaste pra tirar do lugar... rsrsrsrs
bela entrevista!
grande abraço!!

Anônimo disse...

Pessoa especial!
Sorte da nova uniao por ter em sua equipe um grande lutador e um espirito evoluido!!
Parabéns,Rocco!!